Media training: imagem é tudo

Media training é um instrumento valioso para preparar porta vozes para melhor se comunicar diante de seus públicos, sobretudo jornalistas.

Por Sara Manera

O treinamento de mídia, também conhecido como media training, é um instrumento valioso para preparar porta-vozes para melhor se comunicar diante de seus públicos, sobretudo jornalistas. Os principais interessados geralmente são políticos, artistas, esportistas, executivos e integrantes do setor público.

Estar diante de um jornalista para propagar uma mensagem pode se transformar em algo negativo se o interlocutor não souber como se comportar. Apoiar-se somente no conteúdo a ser divulgado não é o suficiente, a forma vai influenciar na maneira que a mensagem é compreendida. As orientações de como portar-se diante da mídia começam pelo entendimento de algumas práticas jornalísticas e de como se relacionar com o jornalista.

Cada tipo de veículo tem suas características, por isso os treinamentos geralmente englobam TV, rádio e entrevistas presenciais em que são treinadas técnicas de locução e apresentação pessoal, entre outros. Os treinamentos geralmente são teóricos e práticos para que os porta vozes se familiarizem com os diversos processos.

A forma como a pessoa se apresenta, sua roupa, cabelo e maquiagem devem condizer com sua personalidade e com a imagem que cada instituição quer passar. Aqui, não cabe criar um personagem completamente diferente da realidade, pois dá a ideia de artificialidade. É preciso dosar autenticidade e bom senso, sem exagerar nas cores, nos brilhos e acessórios, por exemplo, para que não chamem mais atenção do que aquilo que se tem a falar.

O importante é ter consciência de como cada pessoa se comunica, da postura corporal, do tom, velocidade e dicção com que fala para, assim, reforçar os aspectos positivos que já são usados e corrigir aqueles que passam uma ideia errada. Gesticular excessivamente transparece insegurança e a ideia de que a pessoa está pouco à vontade com a situação, o enquadramento e a posição das pernas e braços também deve ser avaliada e muda com o tipo de situação.

Se o contato é realizado por telefone a estratégia tomada vai depender se a entrevista é para um veículo impresso/digital ou para gravação de radio, onde é preciso fazer atenção para não colocar o dedo no bocal e controlar a respiração. Dúvidas sobre pegar ou não no microfone ou olhar para câmera durante uma entrevista são sanadas com um bom media training, que ajuda a preservar a imagem profissional dos porta vozes e da empresa, além de dar brilho e chamar a atenção para o conteúdo.

Sara Manera é jornalista com MBA em Gestão de Projetos pelo Senai-Cimatec. Escreve para o blog às sextas-feiras.