Por que investir em clipping de notícias?

O clipping permite antecipar crises, ajuda a regular a imagem da marca e possibilita readequações nas ações de comunicação quando os resultados alcançados desapontarem.

Por Mara Rocha

Estratégia de análise de mercado e tendências, o clipping regular de notícias não é um mero detalhe do trabalho da assessoria de comunicação. Como um termômetro, ele sinaliza, por exemplo, quando a reputação da empresa está ameaçada. E indica também se a organização está no caminho certo para alcançar os objetivos definidos previamente no plano de ação.

Mais que isso. O clipping, quando bem feito, ajuda a regular a imagem da marca, permitindo readequações nas ações de comunicação quando os resultados alcançados desapontarem. Além disso, ele aponta para as possíveis direções em que a empresa caminha, antecipando crises e abrindo horizontes de oportunidades.

A clipagem pode ser de notícias sobre a própria instituição, ou de temas que estejam correlacionados ao cliente, como comunicados do segmento de atuação, informações sobre a concorrência, entre outros. Neste caso, o interessante é traçar uma análise de conjuntura setorial.

Ainda melhor se o material for comentado, após análise qualitativa da exposição da empresa na mídia, pesando relevância do veículo, teor da informação veiculada, frequência e espaço destinado à publicação. O importante é entender como o cliente é visto por formadores de opinião e qual a sua relevância para a imprensa.

*Mara Rocha é jornalista formada pela UFBA, com  Master em Media Relations pela Business School do Sole 24 ORE de Milão, Itália. Escreve para o blog às segundas-feiras.