Mundo corporativo: mais colaborativo e aberto a profissionais de perfis diversos

Num passado não muito distante, o mundo corporativo era composto por profissionais que, na maioria das vezes,  tinham uma atuação isolada e individual, lidavam com prazos longos e possuíam uma visão específica da área. Neste cenário o compromisso profissional acabava por se tornar restrito e a criatividade controlada.

Por Katja Polisseni

Essa falta de visão de trabalho de grupo não é mais indicada no cenário atual de convergência, em que os mundo off-line e on-line estão em permanente contato e as informações circulam em uma velocidade vertiginosa. As empresas buscam hoje profissionais que estejam preparados para a atuação coletiva, em grupo, aptos a trabalharem com prazos curtos, e ao mesmo tempo com uma visão ampla e estratégica, uma visão de mercado, um compromisso com o todo e muita criatividade e espírito colaborativo, permitindo dessa forma a exploração das capacidades individuais.

As organizações investem em comunicação e em qualificação e estão mais abertas a novos caminhos a serem trilhados. Há espaço para os diversos estilos de profissionais: o colaborativo, o crítico, o realizador, o reflexivo, o detalhista, o líder, o apaziguador e o criativo. Mas essa composição, para dar certo, depende de como se dá o fluxo comunicativo dentro da empresa.

A companhia que busca este profissional contemporâneo tem que estar aberta também a um modelo de comunicação de mão-dupla, estratégica e colaborativa, com menos hierarquia e transparência. A gestão da comunicação é uma necessidade primordial, que deve estar sempre atrelada à gestão financeira e de recursos humanos da empresa, de forma a contribuir para seu crescimento e para a consolidação de sua imagem e reputação.

 

*Katja é jornalista com mais de 20 anos de atuação, especialista em Comunicação Estratégica e Gestão de Marcas. Escreve para o blog às quartas-feiras